Archive for July, 2012

Testemunho

Há um ano e três meses atrás uma amiga muito querida perdeu o seu amado esposo de doze anos num trágico acidente de carro. Ele foi pra estar com Cristo e ela ficou com seus dois filhos.

Só de pensar em algo assim meus olhos já enchem de lágrimas.

Aqui vai o testemunho dela durante essa caminhada tão árdua.

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém. ” (Mateus 28:19-20)

Advertisements

, , , , ,

Leave a comment

Para o meu Querido Pai

Querido Pai,

Hoje depois que conversamos fiquei com meu coraçãozinho um pouco abalado. Depois pensei em como você também deve ter ficado com o seu coração atordoado nestes dias.

… Lembrei de uma vez quando era garota lá na casa de Manaus e te disse que ouvi umas vozes horríveis parecendo uns gritos do mal.  Depois você me pegou na mão e me levou na rua pra me mostrar que eram uns meninos que estavam gritando.  Que não era pra eu ter medo pois eram só os meninos gritando.

… Depois lembrei de outra vez que estávamos em Belém, no prédio onde morávamos.  E eu tinha tido um pesadelo e disse que tinha visto uma pedra gigantesca cair da janela do prédio.  Depois você me tranquilizou.

Em todos esses momentos você esteve lá comigo pra me assegurou de que tudo ia ficar bem.  Aquilo não passaram de medos e anseios de uma garota.

Depois que crescemos também temos nossos medos e anseios, mas por incrível que pareça eles vão se tornando um pouco maiores.

Queria apenas te dizer que o Nosso PAI Celestial está cuidando de você em todo o tempo.  Ele mais do que ninguém sabe intimamente os seus medos e anseios. Nunca se esqueça que Deus está cuidando de você em todo tempo.  Infelizmente não poderei estar na sua cirurgia pra poder segurar sua mão e dizer que tudo vai ficar bem.  Mas estarei em pensamento e oração clamando a Deus pra que Ele mesmo esteja segurando sua mão.

Queria compartilhar com você um versículo que gosto muito que diz assim:

“Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará” (Salmos 37: 4, 5)

E também duas músicas que vieram ao meu coração neste dia, uma delas fala que não devemos olhar as circunstâncias e sim o amor de Deus. E a outra é uma música baseada no versículo que citei.

Todos nós te amamos e estamos orando por você.

Te amo demais e sou extremamente grata a Deus por ter você como meu Pai.

Fique tranquilo e confiante em Deus de que tudo vai ficar bem.

 

Leave a comment

Minha Caminhada

Foto por Jill Nobles 

Hoje estava pensando sobre a vida.  Estava pensando nos altos e baixos, nas fases que passamos, nas pessoas que conhecemos, nos que vão e nos que ficam (que são muito poucos por sinal).

Esses dias pra trás assisti dois filmes muito interessantes que me levaram a refletir em algumas coisas.  Assistir o Machine Gun Preacher, que aborda a história verídica de um ex-traficante que recebe um chamado que muda completamente a história de sua vida.  Ele passa de ex-traficante para resgatador de órfãos no Sudão. Filme excelente!

Me fez pensar em como muitas vezes acho que tenho “grandes problemas”.  Me fez pensar que os “pequenos problemas” são mais fáceis de resolver do que o que eu imagino.  Me fez parar pra pensar em como está minha caminhada.  Claro que infelizmente, como tremenda pecadora que sou, fiquei querendo caminhar outra caminhada. Uma caminhada que hoje não é a minha.  E nem sei se será no futuro.  Depois caí na real e vi que o filme foi meio que um abrir dos olhos e uma inspiração de vida de alguém.  Eu posso ter aquilo como um referencial, mas não devo querer viver aquela caminhada.

O outro filme, “The Joneses”, conta a história de uma falsa família perfeita.  Uma família que é invejada pelo próximo.  O que acontece então é que os outros acabam querendo sempre manter as aparências só por causa daquela falsa família perfeita.  Esse é outro problema.  Quando começo a desejar imensamente a vida do outro, ou o que o outro tem, isso torna-se um peso imenso em minha vida.  Até chegar um momento de frustação por não ser o outro ou ter algo que ele/a tenha.

Quando não caminho a minha caminhada, minha vida vira um reflexo retorcido de mim mesma. Eu até posso caminhar com o meu próximo um pouquinho, ou ter alguém junto a mim na minha caminhada.  Porém não posso fazer disso algo constante.  O único constante é que eu devo caminhar com Jesus.  Quero caminhar a minha caminhada e ser extremamente feliz com ela.

Cada um tem sua caminhada. O mais importante é você caminhar a sua caminhada e não a do outro. Seja feliz na sua linda caminhada!

, , ,

Leave a comment

O assunto do “Mater cocô”

Se você não aguenta aquelas histórias desagradáveis sobre as crianças, por favor não leia esse post. Mas se você ler não diga que eu não avisei.

Era uma vez …

Demos ao nosso primeiro filho um carro SUPER LEGAL do Mater do filme “Carros”, que tinha a pintura original de quando ele não era o Mater enferrujado. Ele estava muito animado com o carrinho e brincava muito com ele. Este foi um carro muito difícil de ser encontrado, quando o vimos o compramos.

Por algum motivo, que eu nem me lembro mais, o nosso jovem Mater acidentalmente caiu na “limpa” privada. Ele ficou 2 segundos lá. Dois segundos! Retirei-o imediatamente da “limpa” privada e lavai-o, esterilizei-o o máximo que pude.  Eu realmente queria comprar outro, mas eu não encontrei mais. De qualquer forma, mantivemos aquela coisinha.

É claro que meu filho viu tudo. A queda, a limpeza, e o carro Mater descontaminado. Só que para um menino de menos de 2 anos, o momento mais impactante que ele só lembrava era do “cocô” ou “o Mater cocô”.

Eu escondi aquele carro por um tempo porque ele se recusava a brincar com o carro novamente. Se você conhece o meu filho e passa algum tempo com ele, você verá como ele é extremamente impecável.

Enfim, eu escondi o carro e toda vez que eu ia colocar o carro para fora para brincar, ele olhava para o carro e dizia: “Mãmãe esse é Mater cocô”. (Não tinha cocô na privada de jeito nenhum, mas era assim que ele chamava)

Depois de um longo tempo escondido em algum lugar, ele apareceu fora das caixas dos brinquedos escondidos. No entanto, desta vez o meu filho tirou ele para fora da caixa.

Ainda assim o chamou de “O Mater cocô” e em sua pequena e brilhante mente viu um pedaço ínfimo de cocô lá dentro (o que naturalmente NÃO TINHA NENHUM cocô lá dentro)

Eu poderia levá-lo para a loja novamente para tentar encontrar outro Mater, para que ele não tenha este episódio traumatizador fora de sua pequena e pura mente. Só não sei se mesmo assim ele ainda vai continuar associando o novo carro ao terrível acidente.

No final das contas o que eu percebi foi que o cocô tem importância.

, ,

Leave a comment

É sobre eles

– Mamãe, posso brincar com você, posso?

– Mamãe, posso deitar com você, posso?

– Mamãe, posso comer com você, posso?

– Mamãe, posso ficar com você, posso?

Tem sido as frases que mais escuto do meu filho. Todos os dias e toda hora.

Hoje estava pensando na importância da maternidade na vida dos filhos. E ultimamente sendo bem sincera estava na verdade saturada dessa grande benção. Não que não ame meus filhos incondicionalmente. E mesmo que as vezes gostaria de ter um tempinho só pra mim, quando o tenho me sinto incompleta. Mas a verdade é que não quero mais ficar somente elevando o cansaço e desgaste dessa jornada, quero poder viver essa experiência e me alegrar no fato de que não é sobre mim mais e sim sobre eles.

Eles me fazem melhor a cada dia. É através deles que me conheço melhor e enxergo meus defeitos e qualidades. Sou moldada nessa jornada a cada dia. Quero viver cada dia o mais intenso possível. Quero poder experimentar as brincadeiras com eles e aprender a ser como eles. Quero entrar nas imaginações e também fazer parte de suas histórias.

A vida não é somente sobre mim, mas sim sobre eles.

Sei que em breve serei eu que vou pedir:

– “Filho, posso conversar com você só mais um pouquinho, posso?”

Leave a comment